A IMPORTÂNCIA DO PRESENTE NOS RELACIONAMENTOS

O que seria o hoje para você? Como você se relaciona com este tempo chamado hoje e com os que convivem com você?


Talvez seja confuso a princípio pensar no momento presente ou soe redundante, já que estamos inseridos nele, mas o questiono por que nos encontramos em um dado momento, porém muitas vezes não o vivenciamos de forma plena. Atualmente, somos tomados por uma urgência, em que não nos é permitido nos demorar muito em um momento, conversa, relação e vamos apenas obedecendo aquilo que foi programado pelo piloto automático chamado ‘‘obrigações’’. Todo este movimento, foi gerando uma nova forma de nos relacionarmos conosco mesmo e consequentemente com os outros.


Há um sociólogo famoso que traz algumas contribuições acerca da configuração instável que as relações atualmente vão se constituindo. Zygmunt Bauman reflete sobre a liquidez das relações, em que ela não são mais solidas e estáveis, trazendo essa compreensão podemos pressupor que a não vivencia ou má vivência do momento presente está no valor que atribuímos a ela.





Nos preocupamos tanto como aquilo que foi vivido ou com o que viveremos, que esquecemos de atribuir valor onde estamos e com quem estamos a viver, que é tão importante quanto qualquer outro momento, porém este pode ser criado, ressignificado e transformado já que é aquilo que temos em nossas mãos, podemos ser agentes ativos. Então: por que não viver este momento plenamente conosco mesmo e com aqueles que estão conosco?


Todo relacionamento se vivido plenamente é capaz de enriquecer sua vida. Ser e estar com o outro será um fenômeno enriquecedor que não deve ser configurado ou visto como perca de tempo, mas como um grande privilégio de ser acolhido e acolher o outro neste processo transformador que é se relacionar. Quando decidimos pelo outro, perceba, envolve o processo de decisão, eu me permito encontrar e ser encontrada naquele instante, o sujeito vai se tornando a sua versão mais autentica quando ele se dispõe a se relacionar plenamente com outras pessoas e por consequência os relacionamentos vão se estreitando e fortalecendo.

A medida em que nos utilizamos da atenção plena em nossos relacionamentos, somos capazes de conhecer e reconhecer quem realmente somos e nos conhecendo desenvolvemos a capacidade de nos abrir ao grande fenômeno que é o outro, evitando fazer inferências fragmentadas ou superficiais, gerando relações cada fez mais genuínas e até mesmo duradoras, já que a mesmas não são liquidas.


Vale ressaltar que todo este movimento de encontro requer esforço e constância, mas, cuidado, não deve ser motivo de autocritica por não conseguir se relacionar plenamente com o outro, por vezes não percebemos a automatização em que nos encontramos e essa autopercepção se dar de forma processual.


Seja o primeiro a se atentar consigo mesmo, verificando suas necessidades, valores, certezas e incertezas, para que ao iniciar o cultivo das conexos genuínas você se apresente ao outro como de fato é, permitindo que o outro vá se desvelando igualmente ao decorrer até que ambos sejam capaz de ver o presente como grande valor a ser zelado. A importância do presente nos relacionamentos é em todo o momento chamado agora, em que você está inserido, desperte a grande riqueza que é vivenciar seus relacionamentos plenamente a cada instante.









Psicóloga Raquel Ferreira, CRP 22/03578

Neuropsicóloga em formação

Logoterapeuta e Analista Existencial

Contato: @psi.raquelferreira

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo