A PRÁTICA É A MELHOR ESCOLA

Atualizado: 22 de jul. de 2020

Imagine um indivíduo que cresceu em um ambiente saudável, com pais que diariamente reforçavam o amor e o valor que essa criança possui e contribuíram ao longo de sua trajetória fornecendo todo o suporte necessário para construção de uma autoestima adequada, é possível que ainda assim esse indivíduo desenvolva problemas com uma voz crítica?


Agora imagine um outro cenário, uma família se desenvolvendo um um ambiente conturbado, com desrespeito, acusações e brigas constantes, sem as condições básicas para o crescimento saudável desse indivíduo, ainda existe a possibilidade para o aparecimento de uma voz interna saudável?


Os problemas observados com a autoestima estão relacionada com a existência de uma aptidão humana para o julgamento. Crianças pequenas, por exemplo, dependendo do estilo de criação adaptada pelos pais, vão manifestar uma certa quantidade de autoestima para começar a sua vida e obter seus primeiros relacionamentos interpessoais em seus primeiros contatos.





O aparecimento da voz crítica na trajetória pessoal geralmente é identificada através das regras e obrigações inflexíveis, perfeccionistas, com a existência da falta de assertividade e extrema vulnerabilidade á críticas. A confiança é minada, a ansiedade é aumentada e a sensação de impotência, rejeição e inadequação ganha ainda mais força, por isso, essa voz precisa ser identificada e tratada.


Por mais que os ataques sejam inflexíveis, eles promovem peso afetivo, são facilmente aceitos e assimilados e um dos objetivo em tratamento é justamente identificá-los, para refutá-los e questioná-los. A voz crítica pode ter começado ainda na infância, pode ser a voz de um familiar ou mesmo a própria voz carregada de autorrejeição, outra possibilidade é frear esses sistema de reforçamento e desorganização.


Fornecer ferramentas para lidar diretamente com os conflitos de relacionamentos, é um dos ganhos alcançados com o tratamento de uma autoestima adequada, a autoconfiança vai sendo fortalecida e a capacidade para a resolução de problemas com novas habilidades sociais é ampliada. Com a prática você entra em ação, ANTES que a voz crítica tenha uma oportunidade de envenenar os sentimentos de amor e valor intrapessoal.


Uma forma de estratégia não violenta que nos leva ao fortalecimento da voz saudável, reformulando a forma como nos expressamos e ouvimos, é a partir de novas experiências. Não é simplesmente apagar as experiências dolorosas e fingir que elas não ocorreram, mas é ao enfrentá-las com ajuda profissional, substituir a falta de escolha por uma experiência que reconheça a possibilidade de mudança. Não tenha medo, vale a pena investir em quem você é e com o que você ainda pode descobrir com a prática!



Psicóloga Lúcia Fernanda

Especializando em Terapia Cognitivo Comportamental


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo