ANSIEDADE E SAÚDE MENTAL NA PANDEMIA

Segundo a OMS (2017), os transtornos de ansiedade atingem cerca de 264 milhões de pessoas, sendo 18 milhões desses, brasileiros. O Brasil ocupa a posição de 1º lugar com 9,3% da população afetada.

As comorbidades são frequentes nos transtornos de ansiedade, variando entre outros transtornos psiquiátricos até doenças cardiovasculares e renais. Os transtornos de ansiedade geralmente prejudicam a vida diária dos indivíduos, pois muitos deixam de realizar atividades rotineiras por medo das crises ou sintomas.

As situações que provocam ansiedade algumas vezes são suportadas com grande sofrimento e muitas das atividades exigem a participação de outras pessoas para que sejam realizadas – o que pode afetar a qualidade de vida e diminuir o grau de independência. Rompimentos sociais e de relacionamentos e abandono de atividades consideradas prazerosas também podem acontecer. Dessa forma, a identificação desses acontecimentos pode direcionar ao tratamento precoce, diminuindo a gravidade desses quadros ao longo do desenvolvimento da doença.

Nessa pandemia, nossa saúde mental acabou sendo muito prejudicada, e a porta para os transtornos de ansiedade acabou sendo escancarada. Então, vamos falar um pouco sobre esse assunto. A mente ansiosa teme o futuro, esperando que algo ruim aconteça. É comum no cenário pandêmico ao qual nos encontramos temer uma catástrofe, como perder totalmente o controle, enlouquecer ou morrer.

A pandemia de COVID-19 está sendo o maior desafio enfrentado pela nossa geração. Tivemos a nossa rotina totalmente alterada de forma abrupta, de repente, tivemos que lidar com uma vida completamente diferente daquela que estávamos acostumados, muitos de nós tivemos que começar a trabalhar em home Office, a renda diminuiu, ou até mesmo perdemos o emprego de anos. De repente tivemos que enfrentar a solidão mesmo tendo pessoas ao nosso redor, conforme nossa rotina sofre essa reviravolta o nosso corpo sente de maneira bem incomoda aquilo que chamamos de ansiedade.



AFINAL, COMO CONTROLAR A CRISE DE ANSIEDADE?

Passar por uma crise não é nada fácil e pode ser extremamente assustador. Para quem passa por ataques constantes ou convive com pessoas que têm episódios de crises de ansiedade, é fundamental conhecer formas de aliviar os sintomas e acalmar o paciente até que esse momento perturbador se dissipe. Por isso, seguem algumas orientações que podem ajudar nesse momento:

1- DESVIE A ATENÇÃO DOS SINTOMAS

A maior preocupação das pessoas que sofrem de ansiedade é o medo com os sintomas que esse momento perturbador proporciona. As dores no peito, a falta de ar, são sintomas semelhantes ao de um infarto gerando assim pensamentos negativos de que esta pessoa estaria sofrendo de algo muito maior, gerando mais medo e preocupação. É de suma importância o desvio de atenção e focar em algo que lhe gera prazer.

2- CONTROLE O RITMO DA RESPIRAÇÃO

As crises de ansiedade ocorrem geralmente quando menos esperamos. Durante a crise, a nossa respiração fica desregulada, ou seja, fora da sintonia habitual do nosso organismo, causando uma hiperventilação (respiração acelerada). Nesse momento é fundamental inspirar e expirar de maneira mais lenta afim da diminuição do estresse, fornecendo uma maior oxigenação do nosso cérebro. Esse processo diminui os sintomas momentâneo e consegue fazer o seu corpo entrar em sintonia novamente.

3- UTILIZE-SE DA SUA IMAGINAÇÃO

Em momentos de crise é essencial mudar o foco dos sintomas. Pense sempre em um local que lhe transmita paz e sensação de relaxamento, focalize a sua mente no campo da imaginação. Essa atividade é fundamental na melhora dos sintomas, ajuda a acalmar e a controlar sua respiração.

4- PROCURE AJUDA PSICOLÓGICA

E por último, mas não menos importante, procure um profissional de psicologia, se você já vem tentando lidar com as suas questões ou com um grau de grande ansiedade na pandemia, busque ajuda. Se sentir que tudo parece fora de rumo e você se sente paralisado diante de toda essa situação adversa, talvez seja a hora de você procurar uma ajuda profissional que te ajude a enfrentar de maneira mais eficaz trabalhando de forma pontual caso a caso.









Marcos Antônio Almeida Brito Júnior

CRP 22/03527

Terapia cognitivo comportamental

@psi.marcosjr

marcosjr.psico@gmail.com

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo