INSERÇÃO DA INTERNET EM MASSA NA ROTINA DA PANDEMIA

Uma grande parte da população já tem a Internet como uma das ferramentas do dia a dia como indispensáveis. Desde a comunicação, estudo, trabalho, entretenimento, entre outras coisas, há uma compreensão de que seu uso tem sido cada vez mais frequente com o passar dos anos.

Consideramos que as grandes transformações da sociedade afetam o nosso comportamento e saúde, compreendendo as mais diversas mudanças que aconteceram na história da humanidade. Os grandes acontecimentos geram novos estilos de vida, preocupações, e, principalmente, maneiras de reagir a essas modificações sociais.


A chegada da pandemia do nova corona vírus despertou novas formas de vida, incialmente avaliadas como momentâneas. Uma delas, podemos considerar a inserção das tecnologias mais integral que de costume na educação, no trabalho, e, principalmente como forma mais radical de se comunicar.


A grande preocupação em torno dessa comunicação, diz respeito ao que fica desse momento, já que o meio digital se tornou o meio mais conveniente de grandes encontros, principalmente. Estima-se que existe uma grande parte da população mundial com um possível vício em tecnologia e/ou dependência. Com isso, o termo Nomofobia tem sido descrevido como esse vício.




A dependência da tecnologia já era discutida anterior a pandemia, é provável que uma ampliação do tempo de utilização desta apareça como um fator preocupante na qual o mundo real e principalmente as relações fiquem comprometidas de um ponto de vista que era pautado anteriormente.

Com essas mudanças, é compreensível que ao fim de um momento pandêmico, assim como aconteceu em guerras pelo mundo, alguns comportamentos das pessoas também permaneçam. Assim consideramos as reuniões de longas distâncias, o estabelecimento de novas relações de amizades, a procura por parceiros em aplicativos de relacionamentos e também as relações sexuais, incluindo aqueles que estão descobrindo a vida sexual.

Nessa ideia, a nova normalidade chamada por aí, posicionou a todos em situação de muitas mudanças, na qual, boa parte da população ainda possui dificuldade também de se adaptar a essas novas formas de relacionamento, se adaptar a essa nova demanda também corresponde a capacidade de cada de ser flexível quanto ao que pensa, sente e faz.


É provável que muitos comportamentos iniciados no período da pandemia se mantenham com o passar dos anos, mesmo com ela controlada. A utilização da Internet nesse caso, foi uma das principais inserções para facilitar o dia a dia e continuar colaborando para que as atividades essenciais permanecessem, porém, o quanto que as pessoas permanecem on-line fora de um período que pode ser essencial, é a grande preocupação, uma vez que o mundo real vai deixando de ser interessante, quanto que o virtual se torna mais curioso.

Para isso, é importante entender até que ponto a tecnologia se tornou um meio de refúgio e o quanto ela o distancia do mundo real. Ações que envolvam o controle do uso, bem como estabelecer determinados períodos para utilização, desativar notificações, principalmente na realização de tarefas que exijam concentração. Na medida em que aparentemente é um problema mais grave, assim como o uso da tecnologia de forma a se distanciar da realidade, evitar o contato social, para lidar com emoções negativas, ao ponto que vire uma dependência, é importante uma ajuda profissional.





Edimilson Brandão

CRP 08/28661

Esp (lizando) em Terapia cognitivo-comportamental

Pós graduação em Sexualidade Humana

Formação em Mindfulness

Instagram: @psibrandao

Facebook: edbrandao

WhatsApp: (41) 998666393

E-mail: brandaopsi@hotmail.com

272 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo