SEMANA DO AUTOCUIDADO, 24/07

Atualizado: 23 de jul. de 2020

Você sabia que existe um dia inteiro para se comemorar o autocuidado? Isso mesmo, no dia 24 de Julho, o Congresso Nacional decretou o Art. 01°, pela celebração anual do DIA INTERNACIONAL DO AUTOCUIDADO. Demaisss, né? 24 horas por dia, sete dias por semana, 24/07, de cuidado consigo mesmo!


O mês de Julho é um período organizado com inúmeras reflexões sobre os primeiros seis meses do ano, mesmo em tempos atípicos, ocorre uma espécie de experiência de reorganização externa e interna quanto aos projetos desempenhados, ganhos e perdas passados, enfim, um período de reestruturação dos estilos de vida.


A ABIMIP (Associação Brasileira da Industria de Medicamentos Isentos de Prescrição) preparou um Guia do Autocuidado que você pode ter acesso em: https://abimip.org.br/arquivos/autocuidado, reforçando comportamentos e regras simples que podem ser adotadas também quanto ao uso de medicações.


Experimente, por esses próximos dias, tratar o mundo interior com mais atenção aos pensamentos, sentimentos e observe como eles exercem influência no mundo exterior. É justamente por não desenvolver esse nível de sensibilidade com a saúde física, mental e emocional que vamos nos sentindo exaustos e sobrecarregados, como se estivesse suportando um mundo nas costas.




O ano está recomeçando, mais uma vez. Se tivéssemos a chance de fazer tudo diferente? Faríamos? E se tivéssemos a oportunidade de recomeçar? Aproveitaríamos? A vida não avisa quando vem com uma bomba de surpresas, 2020 nos provou. Aceitar e encarar a realidade ainda que dura, investindo no que está ao alcance e na simplicidade continua sendo instrução valiosa para uma das maiores missões: gerar autocuidado como prática na rotina.


O tempo não para. O tempo não volta. Abrir mão do que veio como peso, ainda é uma opção. Fazer aquela velha faxina na alma. Trocar de fardo. Recomeçar é realmente uma dádiva. Ser ligado no 220V durante às 24h do dia, nem sempre é sinônimo de saúde e produtividade, mas se tem algo que os últimos seis meses lapidou foi a respeito de desacelerar, diminuir o ritmo e ter cuidado com o coração aflito. Venhamos e convenhamos que não é fácil, mas é necessário e faz um bem danado que só uma alma carregada de saúde emocional consegue compreender. Fica , então, essa instrução para os próximos seis grandes meses que vem por aí "para, entrega e descansa" o ano está só recomeçando, que dessa vez seja, com a esperança por uma cultura de autocuidado.



Psicóloga Lúcia Fernanda

Especializando em Terapia Cognitivo Comportamental

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo